0033 - So Long, Marianne - James [1992]

Como segunda participação neste blog, quero ter a honra de escrever somente algumas palavras sobre o genial escritor, cantor e compositor canadense Leonard Cohen. Nascido em Montreal e ingressando no mundo das artes logo cedo, aos nove anos, depois de ter perdido o pai e adquirido uma depressão que o acompanharia a vida inteira.

Cohen se consagrou primeiramente nas artes literárias escrevendo livros de poesia que o fizeram conhecido e famoso nos anos 60. O seu ingresso no mundo musical foi no ano de 1966, quando participa do festival de música folk "Newport Folk Festival", onde chama atenção do produtor John Hammond, o mesmo que descobriu astros como Billie Holiday e Bob Dylan.

No ano seguinte, lança seu primeiro album chamado Songs Of Leonard Cohen que foi bem recebido pela crítica e público. É neste primeiro album que se encontra a canção So Long, Marianne, um poema que é uma homenagem linda para o primeiro grande amor da sua vida, conta com um instrumental tipicamente folk, quase country e cantado com uma voz calma, contida e anasalada como fez Bob Dylan:
---
But you make me forget so very much.
I forget to pray for the angels and then the angels forget to pray for us.
Now so long, marianne, it's time that we began ...



Leonard Cohen construiu em algumas décadas com os seus poemas e suas músicas, uma carreira invejável adquirindo muitos fãs e seguidores consagrados ou anônimos, e surgiram ao longo do tempo excelentes releituras de seus maiores clássicos, entre eles o da banda oitentista de Manchester James (foto), que em 1991 tocou So Long, Marianne para uma rádio francesa, fazendo parte de um show acústico sendo esta canção um pedido do DJ, um grande fã de Cohen e da banda.

A versão que o James tocou para essa canção foi escolhida para estar na coletânea I'm Your Fan, de 1992, que tem também participação de outros astros da música que se declaram fãs absolutos de Leonard Cohen como REM, Ian McCuloch (Echo & The Bunnymen), Pixies, John Cale (The Velvet Undergound), entre outros. É definitivamente uma grande coletânea e eu a indico para quem quiser se iniciar em Leonard Cohen.

So Long, Marianne, com o James ganhou uma roupagem inglesa, uma sonoridade única e emblemática na melhor fase da banda na sua formação clássica que contava então com o trumpetista Andy Diagram fazendo a grande diferença, e o vocal carismático e intenso de Tim Booth, fã incondicional do grande Leonard Cohen que na sua interpretação, insere trechos de outras canções do cantor canadense. Confiram então essa canção com o James:


As informações que eu consegui acima foram tiradas do wikipedia, do site One of the Three, e do excelente blog Mofo que me ajudaram muito para escrever sobre essa cover maravilhosa. Até a próxima!

Ricardo Camilo

3 comentários:

  1. Belíssima cover. Não esperava nada menos do James. Acho que as pessoas se esquecem do trabalho, das músicas e dos álbuns do James...Sempre há muita qualidade nas composições da banda...

    ResponderExcluir
  2. Leonard Cohen é clássico...
    James é sensacional, pena que costuma ser esquecida!

    ResponderExcluir
  3. thx! Adoro os dois, Cohen e James. O cohen é um clássico mesmo, e o James, uma banda injustiçada! Existe um carisma imenso ali que o mundo não conhece...

    ResponderExcluir

Comente aqui!!!