0135 - Pagode Russo - Zeca Baleiro [1999]

Confesso... Nunca procurei me atualizar sobre música brasileira. Eu sei, é um erro. Afinal, sou brasileiro né? A grande maioria de nossa população (e claro, eu me incluo nesta análise) tem a tendência sócio-cultural de avaliar melhor o que vem de fora e ainda por cima temos uma mídia que parece valorizar uma canção que apresente uma sonoridade alegre e dançante, mesmo que o conteúdo lírico seja de baixo calão (pra não usar outro vocábulo).

OK, não se pode ficar alheio as coisas que acontecem no mundo (principalmente no seu), cerrrto? No entanto, gostar de música brasileira foi algo que me ocorreu mais tardiamente. Foram quase 4 anos (1995 à 1999) ouvindo só rock cantado em inglês, excetuando-se aí alguns discos de bandas de rock brasileiras – mas nada de MPB. Até que em julho de 1999 tive a oportunidade de assistir um show do Caetano Veloso quase sem querer, que acabou acendendo certo interesse por música brasileira.

Tal interesse me levou a ouvir diferentes artistas nacionais, até chegar a 2007 quando descobri Zeca Baleiro (atrasado, eu sei, mas enfim...). Só sei que fiquei viciado com as músicas do Zeca. Ainda mais depois de tê-lo assistido no programa Bem Brasil da TV Cultura (que era apresentado pelo genial Wandi Doratiotto), num show acachapante. Depois do programa, tinha que comprar algum disco do Zeca. Resolvi comprar Vô Imbola (1999). Acredito que o escolhi porque traz a canção Lenha, balada que me cativou logo de cara por sua letra e melodia. Claro, depois da primeira passagem pelo disco, descobri que já conhecia outras músicas como Samba do Approach (que até então acreditava ser de outro Zeca, o Pagodinho) e Meu Amor Meu Bem Me Ame.

Em Vô Imbola existe uma clara a intenção do compositor em agregar diferentes ritmos a fim de não discriminar nenhum estilo musical. Uma prova disto está presente na segunda faixa, Pagode Russo, originalmente um baião composto por Luiz Gonzaga. Como disse certa vez o próprio Rei do Baião: “o baião tem um quê, que outras danças não têm”... mas este Pagode Russo, além deste quê, agrega-se a inventividade (de onde o Gonzagão tirou a idéia de dançar baião na Rússia!?) carregada de bom humor.


Na versão do Zeca, o baião com a guitarra, a rabeca e as batidas eletrônicas ficaram muito bem emboladas. Por sinal, muito bem bolado também. Acho que esta cover ideal para dissolver alguns preconceitos para com a música nordestina e brasileira.

Persiolino

Um comentário:

  1. sempre me digo uma analfabeta de mpb, mas: isso sim é pagode, baião e forró de primeira!

    ResponderExcluir

Comente aqui!!!