0156 - Hallelujah - Jeff Buckley [1994]

Em 1984, Leonard Cohen compôs essa pérola da música, no álbum Various Positions. Sobre este cantor, compositor e escritor canadense, leia mais aqui no post do Ricardo, muito inspirado o texto, por sinal. Eu já não o conheço tanto para falar com propriedade. A melodia tem um quê de música gospel - nos primeiros segundos da canção essa foi a primeira impressão que tive quando a ouvi pela primeira vez - com algo belo e mágico, não é só uma melodia com um jeitão religioso, é tão bem algo como uma valsa triste ou um jazz ou blues, não sei definir... mas que cativa logo de cara.

A letra tem várias referências bíblicas - dá ainda mais esse jeito gospel a ela... - Sansão e Dalila, Rei Davi e Bethsabá, só casais famosos.

A lenda conta que Cohen demorou um ano para finalizar essa canção, mudou-a várias vezes, cortou vários versos, incorporou outros...


Pesquisando sobre a música, descobri que a versão a qual me refiro aqui, a de Jeff Buckley, foi, na verdade, inspirada em outra cover desta canção, na voz e interpretação de John CaleCale, músico galês, era um dos membros da Velvet Underground, "de" Lou Reed, permaneceu na banda por 4 anos - 1964-1968 - e daí partiu para a carreira solo muito influenciada por misturas de sonoridades e música clássica, principalmente.

John Cale gravou Hallelujah em 1991 num cd em homenagem a Leonard Cohen: I'm Your Fan. Ele havia assistido um show de Cohen e pediu a letra, Cohen enviou a Cale 15 páginas de letra da canção (!!!) ou seja, todo o trabalho de um ano estava ali e, segundo Cohen, Cale gravou apenas os versos mais atrevidos.


Em 1994...

É a vez de uma nova versão desta música, com Jeff Buckley. Jeffrey Scott Buckley teve uma vida breve, mas intensa. Filho do cantor e compositor Tim Buckley, Jeff temeu sempre a comparação que pudesse surgir entre ele e o pai, preferiu ficar só nas guitarras, até participar de um show em homenagem a Tim, em que todos notaram a semelhança da belíssima voz de pai e filho (isso que é genética!).

Jeff sempre preferiu se manter à margem do sucesso, tocando em locais pequenos, gostava de tocar e cantar, não se importava muito com a fama, mesmo assim, foi "achado" por produtores de uma gravadora, a Columbia Records na época (1992), e assinou contrato para seu primeiro CD, Grace (1994).

Não foi um "estouro" de vendas, mas aclamadíssimo pela crítica, músicos (Bono Vox, Paul McCartney, Chris Cornell, Jimmy Page e Robert Plant) e bandas que, mesmo depois de 13 anos de sua morte, o citam como influência (Radiohead, Coldplay e Muse). A linda voz e o sentimento que Buckley filho carrega em cada nota sempre o tornarão inesquecível.


Esta cover também faz parte da trilha sonora do filme alemão Edukators (Die Fetten Jahre sind vorbei, 2004). A cena em que é tocada essa música arrepia com a voz de Jeff Buckley ao fundo, lindo e marcante.

**Esta postagem eu dedico a minha amiga Jac, Jacyra, lá de Belém do Pará que estava indignada pelo fato de Jeff Buckley ainda não ter aparecido por aqui!

Menina Enciclopédia

4 comentários:

  1. E a bela versão do John Cale toca em Shrek (2001).

    ResponderExcluir
  2. Daria para fazer um cover vs cover com estas versões hein...

    ResponderExcluir
  3. danismbh@hotmail.com7 de julho de 2010 14:56

    ainda tem o beirut cantando essa musica muitooo bem!!!
    http://www.youtube.com/watch?v=rBGt35G78-s

    ResponderExcluir
  4. Homenagem mais que merecida ao Jeff. Ele também fez vários outros covers inclusive dos Smiths ( fica a dica hehe =P) Parabéns pelo texto, rê¡

    ResponderExcluir

Comente aqui!!!