0158 - Brain Stew - Weezer [2009]

“Do contra”. Sou do signo de touro e sempre me dizem que tourinos são do contra, teimosos por natureza. E como todo bom tourino, não consigo admitir isto a todo instante. Mas quando o assunto é a banda americana Green Day, aí sim, admito: sou do contra mesmo.

Enquanto no colegial 99,9% dos meus colegas gostavam do disco Dookie, e saiam das classes de aula para o intervalo cachoalhando suas cabeças como verdadeiros “headbangers” (porém sem cabelos compridos) com seus walkmens ouvindo Basket Case, She ou When I Come Around, a mim me parecia muito mais legal a sonoridade do disco Insomniac, sucessor do multiplatinado álbum Dookie.

Lançado em 1995, Insomniac – que traduzido para o português refere-se a pessoa que sofre de insônia – é um disco de punk rock pra valer. Segundo a mídia, Insomniac tirou o sono dos muitos chefões da gravadora Warner, que esperavam repetir o mesmo sucesso de vendas obtido com Dookie, mas que não aconteceu. Mal eles sabiam que a idéia da banda liderada por Billie Joe Armstrong (vocal e guitarra), com Mike Dirnt, no baixo e backing vocal, e Tré Cool, na baterista, era fazer um disco com o “jeitão” de Kerplunk – segundo disco de estúdio do Green Day – ou seja, essencialmente sujo, rápido, pesado e agressivo, resgatando assim as bases do punk rock californiano.

Para mim este trabalho é o retrato definitivo do Green Day punk rock antes da era Nimrod, que a fez uma banda mais popular é verdade, mas também que a deixou de certa forma mais “emotiva”.

Cheio de petardos como Brat, 86 e Stuck With Me, canções que se tornam hits a primeira audição e que popularizam este disco, Insomniac sempre ficará na minha memória por conter a “dobradinha” Brain Stew/Jaded. Brain Stew é a décima faixa do álbum. Mas logo no seu primeiro verso conseguimos entender bem o porquê do título do disco: “I'm having trouble trying to sleep”.

De ritmo bem compassado, como um tic-tac de relógio, Brian Stew conta com 5 acordes de guitarra apenas acompanhados de uma linha de bateria bem simples e definida. Na elaboração do disco, Brain Stew é seguida pela "porrada" sonora de Jaded. Nem bem Brain Stew termina para Jaded despertar o ouvinte, que empolgado, pode sair quebrando tudo o que há pela frente...


Recentemente, pesquisando sobre covers na rede, acabei encontrando uma versão de Brain Stew gravada em 2009 pela banda Weezer – outra banda californiana, que fez muito sucesso na década de 90 com seu primeiro álbum “Azul”, mas que no segundo - o bacana Pinkerton - já não alcançou o mesmo sucesso.

Nesta cover, o Weezer utiliza um piano em substituição a guitarra para ecoar as melodias de Brain Stew. É verdade que a sonoridade do piano é bem “do contra” à estética punk, mas nem por isto esta regravação fez com que a canção perdesse sua essência.


PS: Perceberam que Rivers Cuomo está vestindo um pijama a la Onde Está Wally?

Persiolino

Um comentário:

Comente aqui!!!