0191 - Mary Had A Little Lamb - Stevie Ray Vaughan [1983]

Este é um caso muito particular de cover, que se dá quando você tem uma regravação que passa a ser considerada a master e, a partir daí, suas características melódicas e harmônicas passam a ser tomadas como base para as regravações seguintes. Muito comum em casos de gravações de canções populares de domínio público.

Originalmente, Mary Had A Little Lamb foi publicada como um poema original de Sarah Josepha Hale em 1830, que, por sua vez, teria sido baseado em uma situação real observada pela autora, que, certamente, nunca poderia imaginar que quase dois séculos depois tanta gente boa citaria, gravaria e re-gravaria, tais como o Wings (de Paul McCartney), o Smashing Pumpkins, ou o blues master Buddy Guy, cuja gravação foi a base para o cover de outro grande mestre do gênero, o incomparável Stevie Ray Vaughan.


Stevie Ray Vaughan teve uma carreira meteórica e uma morte lamentavelmente prematura, mas os 35 anos em que andou por este planeta foram suficientes para que deixasse seu nome gravado no panteão dos grandes mestres do blues e da guitarra. Até chegar ao primeiro álbum próprio, o guitarrista deu muita cabeçada, tendo sido, inclusive, injustamente vaiado ao se apresentar em uma noite acústica no Festival de Montreux, em 1982. Porém ele e sua banda, a Double Trouble, chamaram a atenção de ninguém menos que David Bowie, que o contratou para tocar em seu álbum, também de 1983, Let's Dance, que gozou de grande prestígio mundial. Mas paralelamente, a banda gravava Texas Flood e, dado o sucesso de sua estréia, Vaughan deixou a banda de Bowie para seguir seu próprio caminho. Sua gravação para Mary Had A Little Lamb encontra-se em seu álbum de estréia que, na época, fez grande sucesso como há muito um disco de blues não fazia.


E aí o destino cruel fez com que Vaughan subisse em um helicóptero, que pouco depois chocou-se a uma montanha, a caminho de Chicago. Isso aconteceu após um show encerrado com uma jam session que reuniu Eric Clapton, Buddy Guy, Robert Cray e seu irmão mais velho Jimmy Vaughan. Foi aí que o já reconhecido mestre da guitarra tornou-se o mito.

Admito que, comparando as gravações de estúdio, gosto mais da versão de SRV, mas vendo as versões ao vivo, cujos vídeos selecionei para esta postagem, o páreo é duríssimo.

Enfim, espero que gostem e que, quem não conheça, sinta-se à vontade para cair de cabeça na discografia de SRV.

BÔNUS: Para quem possa estar curioso, vá lá e confira o post 0063 do tópico Top Covers com a versão de Macca junto dos Wings, de 1972, com melodia completamente diferente.

Varotto

4 comentários:

  1. Opa, essa versão do SRV é muito boa! Diferente da versão feita pelo Paul em 1972. Aliás, acho que é a primeira vez que publicamos mais de uma versão para uma mesma música aqui no 1001 Covers...

    ResponderExcluir
  2. Post 0063??? Opa! Falha nossa! :-O

    Ah, essa minha (falta de) memória...

    ResponderExcluir
  3. essa música eu sempre da versão do snap ahahahahha - shame on me! rs

    ResponderExcluir
  4. Varotto, só coloquei o link ali para que as pessoas possam buscar todo o conteúdo que já publicamos até hoje. Abs

    ResponderExcluir

Comente aqui!!!