Trash Covers - Chitãozinho e Xororó - Frete

Numa era muito distante... num aniversário de, sei lá, 30 anos da Globo...

Eles reprisaram Carga Pesada, seriado famoso pelos aventuras de dois caminhoneiros (Pedro e Bino) pelas estradas do Brasil. Lembro que gostei muito do seriado que foi exibido, originalmente, de 1979 a 1981 na própria Globo. Essa reprise de melhores programas, era bem no Vale a Pena Ver de Novo que faziam reprises de vários programas antigos da Globo, como O Tempo e o Vento que também tive a oportunidade, dessa forma, de ver, entre outros programas famosos e antigões, e algumas novelas. Eu, viciada em TV na época, vi tudo...

E realmente achei legal esses episódios antigos de Carga Pesada, achei que, pela época, o programa tinha sido bem feito e tinha um roteiro muito bom...

Pode ser que hoje eu, revendo, não achei isso. Só que o roteiro, na época, tinha Gian Francesco Guarnieri e Dias Gomes entre outras feras.

O caso é que gostei demais da música de abertura Frete, com o Renato Teixeira. Cantor e compositor paulista, nascido em Santos, Renato Teixeira começou sua carreira compondo ainda na adolescência, que passou em Taubaté, interior de São Paulo. No final dos anos de 1960 mudou-se para Sampa, com uma fita na mão, conseguiu que sua música Dadá Maria fosse interpretada por Gal Costa, em 1967, no Festival da Canção da TV Record e no ano seguinte, Roberto Carlos, cantou Madrasta, composição também de Renato.

Como bom músico, sempre esteve a par da música brasileira e de suas origens que estudou muito, além de ter vivido a época de um turbilhão criativo de nossa música. Conheceu grandes artistas, hoje ícones, em começo de carreia.

Durante a ditadura militar trabalhou com jingles, são dele: a música da Ortopé (tão bonitiiinhuuu!) e Roda Baleiro (balas Kids roda, roda baleiro, atenção!... bala de leite kids, a melhor bala que há! bala de leite kids, quando o baleiro parar... nostalgia pura!).

Com o sucesso nos jingles, Renato, bancou um projeto com Sérgio Mineiro, o Grupo Água, que procurava resgatar a música caipira, sem descaracterizá-la ou torná-la o que vemos em todo lugar: o Sertanojo.

O sucesso estrondoso veio quando Elis Regina gravou Romaria ( 1977, composição de Renato) e chamou o grupo para se apresentar em seus shows. A partir daí, a música caipira começou a ser valorizada e outros artistas também começaram a ter mais espaço na mídia brasileira.

E em 1979 sua composição Frete veio a ser abertura da primeira versão de Carga Pesada:

(não achei a abertura correta... infelizmente só com a música instrumental)

Daí a Globo decidiu, em 2003, voltar com a série para mostrar como está a dulpa de caminhoneiros 30 anos depois e resolve "modernizar" na música tema colocando Chitãozinho e Xororó cantando a abertura.

Afinal, depois da rainha dos caminhoneiros, eles precisam ter mais essa versão para acabar com o bom gosto musical deles. Com a sua voz de taquara mais do que rachada, Xororó - agora a cara da Sandy depois do botox, juro que não sei quem é quem, ele tá a cara da filha! e não a filha a cara dele (ainda bem pra ela, né?) - canta a nova versão com seu irmão.

A dulpa é famosa por seu estilo de voz (??) e estilo de sertanojo mexicano-paraguaio (sim, algo entre a guarânia e os aiaiais mexicanos) e por acabar com várias versões de outros por aí... não ia ser diferente aqui, se denotaram com meio mundo, por que não com a música do Renato Teixeira com aval da abertura da Globo para que o povão ache o máximo?

(vejam como enganam a gente na internet, era pra ser a primeira versão da abertura...)

Bem, eu como chata-mor, quando ouvi a nova versão na abertura, parei de assistir a nova versão, já estava achando fraca mesmo.

Menina Enciclopédia

2 comentários:

  1. Nao achei essa versão do Chitão e do Xororó digna de trash cover. Há muitas coisas piores neste mundão afora viu!

    ResponderExcluir
  2. ah vá! essa voz insuportável do xororó botocado é a pior coisa que existe, tem uma sala no inferno só pra vc ouvir essa taquara rachada por dias a fio rssr

    ResponderExcluir

Comente aqui!!!