0225 - Dancing Barefoot - U2 [1989]

Considerada a madrinha do punk, Patti Smith (nascida Patricia Lee Smith), atualmente uma senhora de 64 anos, é um ícone do rock. Sua importância para o gênero é tão grande que, além da alcunha de "madrinha", ela é a inspiração para outros nomes igualmente incônicos, como Michael Stipe (R.E.M.), Shirley Manson (Garbage), Morrissey e Johnny Marr (The Smiths), U2 e KT Tunstall, só para citar alguns.

Em 1975, sua banda Patti Smith Group (formada por Lenny Kaye, Jay Dee Daugherty, Richard Sohl e Ivan Kral) lançou o histórico álbum Horses. Porém, a música tema deste post só foi gravada alguns anos depois, em Wave, de 1979. Escrita por Patti e Kral, então baixista da banda, Dancing Barefoot entrou em um ranking de uma edição de 2004 da revista Rolling Stone: alcançou a posição 323 na lista das "500 melhores canções de todos os tempos". A música é dedicada a mulheres como Jeanne Hébuterne, que viveu ao lado do pintor italiano Amedeo Modigliani até a morte dele.

Aliás, segundo a biografia de Jeanne, ela era tão devotada e apaixonada por Modigliani que não conseguiu superar a morte do amado por meningite tuberculosa: dois dias depois, ela se jogou da janela do quinto andar, grávida de nove meses. Assim, versos como "Here I go and I don't know why/ I fell so ceaselessly/ Could it be he's taking over me" têm um significado ainda maior levando em consideração o amor trágico entre Jeanne e Modigliani.


Sendo uma influência para o U2, não é de se estranhar que o quarteto irlandês formado em 1976 por Bono Vox, The Edge, Adam Clayton e Larry Mullen Jr. tenha no seu rol de covers uma canção da madrinha do punk. Dancing Barefoot foi gravada como lado B do single de When Love Comes To Town, que originalmente faz parte do álbum Rattle and Hum. Também foi lançada na compilação dupla The Best of 1980–1990 & B-Sides. Aliás, a música tem duas versões: uma mais curta, no vinil 12" e no CD, e outra longa, no vinil 7" e na fita cassete (provavelmente a versão linkada é a do CD).

A cover de Dancing Barefoot ficou com muita cara de U2 - quem não conhece a original pode até achar que se trata de uma música assinada pelos próprios irlandeses. A versão traz algumas adaptações nos versos (pronomes e palavras, como spin no lugar de fell, na segunda estrofe). A voz de Bono está simplesmente ótima - afinal, ele estava na sua melhor fase vocal. E The Edge adapta muito bem seus riffs - repetitivos ao longo da carreira, diga-se - para a canção do Patti Smith Group. Enfim, uma bela homenagem sem perder as próprias raízes.


Anômima

2 comentários:

  1. eu sou uma fã de U2 q tem esse cd e não sabia q era da Pat pimentinha Smith rs
    obrigada pela informação! ;)

    ResponderExcluir
  2. Muito boa mesmo esta versão do U2. Mas por muito tempo (uns 14 anos!) eu fiquei achando que esta música era do The Mission, pois foi a primeira versão que eu ouvi. A versão deles é acústica e excelente: http://grooveshark.com/s/Dancing+Barefoot/390Iav?src=5

    ResponderExcluir

Comente aqui!!!