0242 - Nunca Diga - Pato Fu [1998]

Lá nos idos de 2003, quando ainda costumava ir as lojas de CDs na Galeria do Rock de São Paulo com uma grande frequencia, o nome de um certo grupo de rock do Rio Grande do Sul me chamou a atenção: Graforréia Xilarmônica. E o título de seu primeiro álbum, o único CD da banda que pairava na loja, era Coisa de Louco II.

Com nomes estapafúrdios como aqueles, acabei não resistindo e então tentei maiores esclarecimentos com o dono da loja. Quando o questionei o que ele achava do disco e da banda, para minha surpresa, lembro-me dele ter resenhado algo mais ou menos assim: “É o melhor disco de rock nacional da última década! Leva que este você não vai mais encontrar em qualquer outra lugar”. Só me restou então arriscar. Foi assim que conheci o Graforréia, da loja para o meu CD Player, ouvindo Coisa de Louco II, confirmando a afirmação do vendedor.

O que eu mais gosto deste disco são suas canções de rock vinculadas a sagacidade, humor e irreverência de suas letras, sem cair no vulgarismo – algo muito raro nos dias de hoje. Mais raro ainda é um disco conter 18 faixas, todas autorais, todas muito boas, entre as quais merecem destaque Se Arrependimento Matasse, Você Foi Embora, Amigo Punk e a famosa Nunca Diga...


Quando eu ouvi Nunca Diga pela primeira vez - que por sinal é muito similar as melodias sessentistas, tipo Jovem Guarda, Roberto/Erasmo - fiquei muito mais surpreso com o Graforréia, até porque o rock brasileiro dos últimos anos tem deixado a desejar, salvo algumas exceções.

E durante a audição, vasculhando rapidamente na memória, lembrei-me que já havia ouvido aquela canção numa versão bem diferente feita pela banda mineira Pato Fu. Até aquele momento nunca havia passado pela minha cabeça que Nunca Diga, executada nos moldes NOFX / Green Day pelo Pato Fu, se tratava na verdade de um cover.

O vídeo a seguir de Nunca Diga foi extraído dum famoso show do Pato Fu que ocorreu na cidade de Belo Horizonte, durante a turnê de divulgação do disco Televisão de Cachorro, que foi transmitido ao vivo pela Rede Minas e TV Cultura em 1998.

É interessante perceber que o solo de guitarra é executado pela Fernandinha Takai e não pelo John, provando que as mulheres também mandam bem neste quesito...


Depois de Nunca Diga, o Pato Fu gravou um outro cover do Graforréia, a canção Eu para o álbum Ruído Rosa. Mas isto é história para outro post. Fato é que nunca mais encontrei outro Coisa de Louco II para vender naquela loja e em qualquer outra loja de disco de São Paulo.

Persiolino

2 comentários:

  1. Não sabia que "Eu" era uma cover, e olha que tenho o álbum com seu devido encarte, santa ignorância. rs

    E a Fernandinha Takai anda muito longe da guitarra nas apresentações recentes, pelo menos nas que tenho visto.

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho o álbum "Televisão de cachorro", mas faz anos que não ouço. Na minha adolescência, eu sabia quase todas as músicas dele de cor - inclusive "Nunca diga".

    ResponderExcluir

Comente aqui!!!