0253 - Brothers In Arms - Metallica [2007]

É óbvio que qualquer Guerra não possui resultados positivos. De uma perspectiva simples, a Guerra representa a derrota da Vida Humana perante a interesses menores e egoístas. Desta constatação podemos dizer que a Arte tem sido uma forte contraposição à Guerra, pois ela é um ótimo veículo de expressão contra as atrocidades cometida pelos próprios homens; é uma fonte de inspiração para a paz e tenta desta forma nos alertar para que os erros do passado não se repitam no futuro.

Particularmente, gosto de acreditar que Mark Knopfler, o grande guitarrista e líder criativo do Dire Straits, imbuído deste espírito, escreveu e arranjou Brothers In Arms. É até antagônico afirmar isto que vou escrever agora, mas neste caso específico de Brothers In Arms, a Guerra contribuiu para a construção de uma das canções mais bonitas dos anos 80...

Brothers In Arms tem como pano de fundo a Guerra das Malvinas, batalha ocorrida entre Abril e Junho de 1982. Apesar disto, a letra de Brothers In Arms não é especificamente sobre as Malvinas como muitos acreditam.

Segundo entrevista concedida pelo próprio Mark Knopfler em 1989 pra Radio One BBC, a ideia de Brothers In Arms veio justamente de um termo utilizado pelo seu pai que durante aquela guerra costumava dizer que os Soviéticos eram “irmãos de armas” da ditadura Argentina da época. Refletindo sobre a expressão “irmãos de arma”, Mark subverteu o entendimento da expressão dita por seu pai e escreveu a canção pensando justamente no espírito de irmandade existente entre os soldados nos campos de batalha. Mark analisa que apesar dos homens viverem em “mundos” (ou países) diferentes, no fundo todos nós deveríamos cuidar um dos outros, pois vivemos num único Mundo. E ao final de sua letra, conclui que guerrear é estúpido pois, apesar de estarem em exércitos opostos, todos soldados são no fundo "irmãos", independentemente de que lado estão.

Brothers In Arms foi escrita em meados de 1982, mas a canção só foi lançada em 1985, quando do lançamento do álbum homônimo do título desta canção.


E neste mesmo espírito de irmandade entre os homens que o guitarrista e compositor canadense Neil Young e sua esposa Pegi tem organizado sempre no mês de Outubro o show beneficente Bridge School Benifit. A Bridge School, localizada em Mountain View, Califórnia, é uma escola que assiste crianças portadoras de dificuldades de locomoção e de comunicação. Desde 1986, Neil Young realiza este show em prol dos alunos da Bridge School, sempre se apresentando ao lado de grandes artistas do mundo da música.

Em 2007, a canção Brothers In Arms foi brilhantemente reinterpretada pela banda americana Metallica, gravada justamente na vigésima primeira edição do Bridge School Benefit. Aliás, neste show o Metallica não só apresentou esta cover como também apresentou mais 4 covers (num set list de 8 músicas), entre elas uma raríssima reinterpretação de Only Happy When It Rains do Garbage.

Para mim, o grande mérito do Metallica foi ter conseguido capturar todo o clima de Brothers In Arms e, de quebra, imprimiu seu própio estilo, emocionando a todo público presente ao show num belíssimo arranjo acústico, num momento único da arte pela arte, ou mais, o da arte pela paz, o da arte para apoiar o próximo.

Persiolino

Um comentário:

  1. E aí?! Alguém aí ainda se lembra de mim?

    Depois de um longo e tenebroso inverno, estou de volta para comentar, e tentar postar para tirar o atraso.

    Enfim, me lembro até hoje de quando comprei o, recém-lançado, LP Brothers in Arms. Na época, Dire Straits era minha banda preferida (daquelas que você faz questão de ter todos os discos). Realmente, o disco é fantástico, independentemente de ter sido um sucesso de vendas.

    Nem consigo imaginar a versão do Metallica. Tenho de esperar chegar em casa, pois no trabalho não consigo acessar o YouTube. Depois comento mais...

    ResponderExcluir

Comente aqui!!!