0259 - Map Ref. 41°N 93°W - My Bloody Valentine [1996]

Olás! Então, este é o meu primeiro post por aqui e fico honrada com o convite do Persiolino em participar deste digníssimo blog. Dito isso, não faço ideia de como escrever uma introdução decente... pois, vamos parar com o papo furado e partir logo pro que interessa! =D

O Wire, de Londres, era uma banda que sempre tive curiosidade em conhecer melhor desde os idos dos anos 1990, graças ao processo que meteu no Elastica (e com razão). Mas, infelizmente só fui ter acesso à sua maravilhosa discografia partir de 2009, quando a banda larga finalmente chegou aqui em casa. De certa forma a espera valeu. A banda surgiu pra mim quando eu já tinha maturidade suficiente para sacar qual era a deles e desde então tornou-se uma de minhas favoritas.

154 (lançado em 1979) é o terceiro album do Wire. Foi produzido, assim como os dois primeiros, por Mike Thorne (o mesmo de Leisure, do Blur) e é uma coisa linda de se ouvir. Incrível ver como em apenas dois anos e três discos a banda cresceu e como suas canções tornaram-se mais ricas - sendo Map Ref. 41°N 93°W uma das melhores deste disco, de me deixar arrepiada até hoje. Seu curioso título refere-se às coordenadas da cidade de Centerville, em Iowa (bem no... centro dos EUA), e pra quem estava habituado às canções curtas e grossas do disco de estreia (Pink Flag), deparar-se com uma maravilha pop como Map Ref. pode até ser esquisito a princípio, mas impossível não se render.

Como alguém disse certa vez no last.fm: "ainda bem que avisam "CHORUS" pouco antes do refrão, do contrário ele poderia me acertar a cara". Sim, que refrão glorioso! Não tem como escapar incólume dele. Tem gente que adora dizer por aí que trata-se de uma banda "difícil" - mas ao ouvir essa música não nos resta pensar nada senão exatamente o contrário:


Já teve tanta gente fazendo cover de canções do Wire por aí que daria pra abrir uma categoria à parte aqui no blog, mas não vamos nos precipitar =P

O My Bloody Valentine, de Dublin, acho que dispensa maiores apresentações. Um dos principais representantes do shoegazing, notório pelas "muralhas de distorções" criadas por seu guitarrista Kevin Shields, que caíram como uma luva nesta versão - bem como seus vocais etéreos, em contrapartida aos vocais mais emocionados (e um quê desesperados) da versão original.

Pra falar a verdade, trata-se de uma banda que não tenho muito pra falar a respeito, mas que posso dizer que fizeram um bom trabalho nesta cover gravada para o disco tributo ao Wire chamado Whore de 1996.

Srta. Tuppence Beresford

3 comentários:

  1. Parabéns Stra Tuppence Crowley por seu primeiro post aqui. O primeiro de muitos. É o primeiro que fazemos também do My Bloody Valentine. O Wire já apareceu aqui com REM... Enfim, tudo é primeiro por aqui, inclusive, é a primeira vez que eu conheço uma pessoa fanática pelo Wire...Beijo

    ResponderExcluir
  2. Valeu, Persiolino!! :)

    Muito obrigada pelo convite e pela ajuda no meu primeiro post!
    beijão

    ResponderExcluir
  3. Oi Srta Tuppence, espero que este sejao primeiro de muitos. Boa sortte.

    ResponderExcluir

Comente aqui!!!