0332 - Rock El Casbah - Rachid Taha [2004]

Qual é a música popular, não importando o gênero, produzida na última década que alcançou as paradas da Billboard, ou de qualquer outro chart nacional ou internacional, veiculando uma forte mensagem política? Se você como eu não conseguiu responder a esta questão de bate-pronto, não fique assustado. Estamos vivendo certamente uma era de apolitização e a pouca valorização do ser humano. Como resultado, somos bombardeados com músicas de menor qualidade dia após dia. Não que há música tenha que ser uma lição de moral e ética. Mas, talvez você concorde, algumas passaram do limite tolerável da boa educação e do mínimo de respeito para com o ser humano.

Uns 32 anos atrás aproximadamente, o cenário da música popular era diferente. Não estou sendo saudosista aqui - até porque há 32 anos eu era apenas um bebê recém-nascido. Entretanto é fato que bandas como o The Clash estouravam nas rádios do mundo inteiro, trazendo consigo canções com um olhar crítico aos acontecimentos políticos de sua época.

A canção Rock The Casbah, do álbum Combat Rock (1981), é um dos bons exemplos do tipo de crítica política que esta banda inglesa costumava empregar em suas composições. Rock The Casbah conseguia passar sua mensagem de forma direta e divertida, sem soar pedante, aliando a sonoridade punk com o funk - atualmente, para se conseguir deixar a música divertida, os compositores produzem letras "vazias" e de conteúdo baixo. 

Inspirada pela notícia do banimento do rock e da disco music no Irã após a chegada do Aiatolá Khomeini ao poder no início da década de 80, a canção relata a estória de um Rei que acaba sendo desafiado por sua população devido a ordem de proibir o rock em suas terras.


De fato a música popular atual está cada vez mais vazia e banalizada. Entretanto, na Argélia, país localizado ao norte do continente africano, o raï, estilo musical que congrega traços da música árabe, francesa e hispânica, está na contramão desta tendência apolítica na música.

O raï, que em sua origem significa “opinião e discernimento”, é hoje uma espécie de instrumento de resistência utilizado pelos artistas argelinos contra as agruras da colonização e de ditaduras vividas naquele país.

Para quem acredita que o raï é algo totalmente desconhecido por nós é preciso relembrar que o cantor argelino Khaled, com seu hipnótica música El Arbi, obteve um grandioso sucesso no aqui Brasil no início dos anos 2000.

Outro grande expoente do raï no cenário mundial é o cantor e compositor argelino Rachid Taha. Suas composições se assemelham com as composições do Clash por quase sempre trazerem a tona temas políticos e os problemas sociais enfrentados pela população de seu país.

Em 1981, Taha juntamente com os membros de sua antiga banda chamada Carte de Séjour - que basicamente produziam músicas que misturavam o rock com música árabe - conheceram o The Clash logo após um show em Paris. Na oportunidade, Taha conseguiu dar pessoalmente uma cópia do disco demo do Carte de Séjour para a banda inglesa. Após o encontro, Taha e o The Clash nunca mantiveram contato. Ele chegou a acreditar que os membros do Clash nunca ouviriam sequer uma única faixa daquele disco demo. No entanto, meses após aquele encontro, a banda inglesa lançaria Rock The Casbah, para a surpresa e ao mesmo tempo alegria de Taha. 

Seria então o raï e as músicas do demo tape de Taha a grande fonte de inspiração pro Clash compor Rock The Casbah? Em entrevista dada ao jornal The Guardian em 2007, Mick Jones chegou a dizer quem ele e Joe Strummer chegaram a ouvir na década de 90 algumas músicas de Rachid Taha, mas que se lembra vagamente do encontro ocorrido em 1981.

Assim, sem uma resposta conclusiva para essa pergunta, podemos perceber que o raï está mais próximo de nossa realidade do que imaginamos...

Em 2004, Taha fez um excelente cover de Rock The Casbah que ganhou o título de Rock El Casbah. A versão em árabe manteve a mesma temática da original e conseguiu ainda manter a coesão do rock a com música eletrônica e música árabe. Mas dançante que original em minha opinião, Rock El Casbah entrou na lista dos 50 melhores covers de todos os tempos do The Guardian.


Portanto, é uma pena que esse "esvaziamento" na música, muito por conta desta globalização alienante, onde a regra a seguir é "pegar" a moda do momento para fazer sucesso, está fazendo com que cada vez menos surjam "artistas pensantes" como Richard Taha e The Clash.

Persiolino

2 comentários:

  1. Adorei seu blog,compartilhando aqui!! Forte abraço Willian camiseta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Willian Camiseta. Fique a vontade. Volte sempre

      Excluir

Comente aqui!!!