Melhores Covers de 2016 - Top 40 Internacionais - Parte 2 (20 - 01)


Aqui continua a nossa lista de melhores covers de 2016 produzidos por artistas estrangeiros; estes são os "campeões" de 2016. Se você quiser saber as covers da posição 40 à 21, clique aqui.

Bom divertimento!

20 - All I Ask - Bruno Mars / original: Adele
Este é um clássico dor de cotovelo, coração partido, sofrimento de início ao fim. A original pela Adele é só ao piano e sua voz carregada deste sentimento - e diga-se de passagem não precisa muito mais para ser uma ótima interpretação. Já na versão de Mars, com o apoio de seus backing vocals, lembra em muito o jeito de interpretar do Boyz II Men. Ótima cover com menos sofrimento. (PK)


19 - SOS - Portishead / original: ABBA
Portishead nos apresenta uma versão bem soturna, sofrida, do clássico setentista do ABBA. Por mais que você solte um “ah, ficou meio estranho..” inicial, logo você percebe que eles mantém a essência e adicionam uma elegância ímpar junto da óbvia mensagem da música. (AM)


18 - Beast of Burden - Jimmy Fallon, Billy Joel e The Roots / original: The Rolling Stones
Uma cover com a participação do Jimmy Fallon nos joga pra uma outra seara, deixando tudo muito mais cômico e caricato. Embora passeie, no que tange ao arranjo, na mesma praia da original, a versão do “talk show host” yankee é feita com muita competência, o que a coloca com mérito aqui dentro do nosso TOP 40. (AM)


17 - Young Americans - Hozier / original: David Bowie
Hozier é tipo um Jeff Buckley das ilhas britânicas, e jogou todo seu charme proto-hipster pra colocar uma outra “vibe” no superclássico do semi-Deus do pop David Bowie. Arriscou? Arriscou. Porém, segurou a peteca e nos trouxe essa boa versão bem mais “low profile” que a original. (AM)


16 - DMA’s - Believe / original: Cher
Essa versão ficou deliciosa. Arranjo classudo, tirando um pouco aquele climão meio brega da original. O violãozão básico caiu bem com a voz delicada do vocal. Embora saibamos que não seja fácil competir com Cher nas cordas vocais, o rapaz se saiu muito bem. (AM)


15 - Don’t Dream It’s Over - Eddie Vedder e Chris Martin / original: Crowded House
Chris Martin tudo bem, mas quem imaginaria Eddie “embaixador grunge” Vedder mandando uma cover de um clássico “Antena 1” desse naipe pra uma platéia de estádio? Tem que ter as manhas. E ficou bem bão. O arranjo piano-guitarrinha suave caiu bem e criou um desses insólitos porém classudos duetos. (AM)


14 - American Tunes - Alain Toussaint / original: Paul Simon
Alain Toussaint e Paul Simon eram próximos. Tiramos o violão de Simon, e colocamos o piano de Toussaint. Temos a mesma delicadeza, a mesma leveza, a mesma beleza. Essa versão é daquelas que não só honra, como se exibe em total pé de igualdade com a original. Uma pena que um artista desse naipe também tenha nos deixado em anos recentes. (AM)


13 - Judy Is A Punk - Morrissey / original: Ramones
Belezura pura. Morrissey volta e meia engrena essa cover dos Ramones em suas apresentações. Essa em específico, em Nova York, em setembro do ano passado, é gostosíssima, e sai com uma naturalidade que prova como “Moz” é versátil com a sua voz. Se pedir pro homem interpretar uma cover de “nu-metal”, é capaz dele dar conta do recado. (AM)


12 - The Man Who Sold The World - Michael Stipe / original: David Bowie
As “marteladas” do pianão clássico e aquela tenacidade especial da voz do Michael Stipe dão um clima dramático a esse mais do que clássico petardo roqueiro do nosso querido e saudoso David Bowie. Só acrescenta, sem arestas. Very nice! (AM)


11 - Purple Rain - Gregory Porter, Mumford and Sons, Baaba Maal, The Very Best e Jools Holland / original: Prince
Num ano em que perdemos grandes e icônicos artistas, essa homenagem a Prince, feita alguns dias depois de sua morte, é de chorar de emoção. (CT)


10 - In Bloom - Sturgill Simpson / original: Nirvana
Sai o grunge e entra uma baladinha country. “In Bloom” em metamorfose. De inicio você pode até dar uma torcida no nariz, mas a música vai ganhando corpo e a versão cria um outro “feeling”, fora daquela explosão urbana do Nirvana, uma outra “paisagem”, algo como um rádio ligado numa pick-up surrada de uma “route” do interior do Colorado. (AM)


09 - Back to Black - Boy and Bear / original: Amy Winehouse
A banda australiana deixa a canção de Amy Winehouse mais roqueira e mais indie. Um resultado interessante, já que a maioria das regravações de Back to Black acabam caindo na mesmice de afetação nos vocais, erro que, felizmente, os caras do Boy and Bear não cometeram. (CT)


08 - Sledgehammer - Ava Love / original: Peter Gabriel
Esse ano,  tivemos muitos clássicos dos anos de 1980 em covers bem executadas. Tão bem executada e tão legal que ficou em oitavo no nosso top, o Ava Love conduziu com leveza e gingado Sledgehammer, de Peter Gabriel... ainda vejo na minha cabeça aquelas frutas entrando na boca de Gabriel no seu clipe lisérgico. (ME)


07 - You Are The Sunshine of My Life - Jack White e The Electric Mayhem (Muppets) / original: Stevie Wonder
Uma das melhores covers do ano, Jack White deu novo brilho à música, com sua voz de timbre diferente de Stevie Wonder e seu jeito mais blueseiro trouxe um novo ritmo à melodia, um super sucesso que ninguém consegue ficar parado ao ouvir, nem se for um muppet! (ME)


06 - Moonage Daydream - The Last Shadow Puppets / original: David Bowie
Todo mundo quis fazer cover do Bowie, mas pouco se sairam realmente bem, uma das que podemos destacar aqui é a do Last Shadow Puppets, com Alex Turner nos vocais dando uma sensação de versão “Arctic Monkeys”. (ME)


05 - Midnight Special - Banditos / original: Creedence Clearwater Revival
Ao ouvir a versão dos Banditos, você já tem o diferencial de ser uma voz feminina, poderosa e isso dá todo um novo “poder” à música. Não que John Fogerty não tenha um super vozeirão que todo mundo reconheça de cara, mas ficou especial num vocal feminino. Eles tentaram ser bem fieis ao Creedence e isso é outro ponto a favor, procuraram manter a vibração da música. (ME)


04 - While My Guitar Gently Weeps - Regina Spektor / original: The Beatles
Cover da famosa canção do beatle George gravada pela pianista, cantora e compositora russa radicada nos EUA, Regina Spektor, foi produzida especialmente para a animação feita em stop motion Kubo e As Cordas Mágicas. Como a estória da animação é toda ambientada no Japão antigo, esta versão de While My Guitar Gently Weeps recebeu os arranjos com solos de shamisen (instrumento musical japonês de três cordas) elaborado pelo compositor de trilhas sonoras Dario Marianelli – vencedor do Oscar de melhor trilha sonora com o filme Desejo e Reparação [2007]. O shamisen é também o instrumento utilizado por Kubo para contar suas histórias “mágicas” para os aldeões de sua vila. Além do shamisen, foram inseridos leves toques de shakuhachi (flauta japonesa feita de bambu) e solos de piano cauda. (PK)


03 - Everybody's Talking - Mika / original: Fred Neil
Este ano o cantor e compositor Mika transmitiu o programa The Art Of Song pela Radio 2 BBC onde ele contou e tocou várias canções que marcaram a história da música utilizando o piano doado por Elton John a rádio. E já no primeiro episódio da série de programas levado ao ar em Janeiro de 2016, Mika fez uma lindíssima cover de Everybody’s Talking, sucesso na interpretação Harry Nilsson, porém originalmente composta e gravada por Fred Neil. (PK)


02 - Don’t Be Denied - Norah Jones / original: Neil Young
Arranjo maravilhoso com aquele piano sempre bem tocado e a voz doce da sempre afinada Norah Jones. Esta versão para Don’t Be Denied de Neil Young – que narra uma época difícil da vida de Young – foi lançada no último trabalho de Norah, o ótimo Day Breaks. Segundo lugar merecido no “pódio” das melhores covers de 2016. (PK)


01 - Who By Fire - Glen Hansard e Javier Mas / original: Leonard Cohen
Who By Fire é uma canção do disco de New Skin for the Old Ceremony de Leonard Cohen lançado em 1974. A composição foi baseada na melodia hebraica para a oração "Unetanneh Tokef" cantada no Mussaf (ou serviço de meio-dia) do Rosh Hashaná (dia de ano novo Judaíco). Esta faixa é uma das principais deste disco e traz um arranjo com alaúde. E nesta cover gravada por Glen Hansard em Novembro passado, poucos dias após a morte de Cohen, também traz a presença do alaúde, tocado pelo guitarrista espanhol Javier Mas que já havia tocado com Cohen durante a turnê de 2010. Além disto, é preciso destacar o lindo quarteto de cordas que fez um belíssimo arranjo. A interpretação de Glen é praticamente perfeita, muito próxima das interpretações e do grau de emoção que Cohen dava ao apresentar esta música. Esta cover é uma linda homenagem ao grande compositor e cantor canadense. (PK)


Navegue: 

Persiolino

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui!!!