Cover Playlist - 30 anos de The Joshua Tree

Há 30 anos o U2 lançava o álbum The Joshua Tree que definiu de uma vez por todas a estética, o som e os ideários artísticos de Bono Vox, The Edge, Adam Clayton e Larry Mullen Jr.

Lançado em 09 de Março de 1987, The Joshua Tree é o disco mais vendido da carreira da banda irlandesa, com cerca de 25 milhões de cópias vendidas ao redor do planeta. Mas todo este sucesso comercial deve ser entendido como secundário pois o propósito artístico desta obra e seus impactos na carreira da banda seriam muito maiores. 

Antes deste disco, o U2 era uma banda que já se sensibilizava com os problemas políticos e sociais do mundo. Bono Vox mostrava preocupação para com os caminhos que a humanidade seguia, com composições como New Year’s Day, inspirada pelos movimentos trabalhista ocorridos na Polônia durante a década de 80 que lutava contra o desemprego ou Sunday Bloody Sunday que demonstrava a impotência humana diante de tantas notícias ruins.

Em The Joshua Tree, Bono realmente encontra sua missão como artista, e de como a banda queria ser reconhecida. Enquanto nos álbuns anteriores, as cenas do dia-a-dia e das questões interpessoais de Bono se misturavam com as preocupações políticas, em Joshua Tree a maturidade e o engajamento político ficaram muito mais evidentes. Neste disco havia uma crítica severa contra a política externa norte-americana do então presidente dos EUA Ronald Reagan, como é o caso de Bullet The Blue Sky, uma canção de protesto aos bombardeios americanos feitos na guerra civil de El Salvador nos anos 80. Ou em Mothers Of The Disappeared, música que critica o apoio norte-americano as ditaduras argentinas e chilenas da década de 70 e 80, que deixaram muitas mães sem seus filhos, desaparecido por aquelas ditaduras. 

Além disto, Joshua Tree é um álbum pop fantástico, com uma balada pegajosa e sensível como é o caso de With Or Without You e a mistura da música negra americana com o rock, o blues, o gospel e o folk de I Still Haven’t Found What I’m Looking For.

Três décadas depois, “as canções nos parecem relevantes e proféticas dos tempos em que vivemos”, disse Bono ao anunciar a turnê de comemoração aos 30 anos de Joshua Tree em Janeiro de 2017. Bem verdade é que clássicos são eternos e mesmo que os anos passem, o legado artístico e cultural é propagado para gerações futuras. E este legado também é percebido quando nos deparamos com ótimas covers que rederam homenagens ao disco e a banda, como é o caso desta seleção de covers para todas as faixas desta obra sensacional:

01 – Where The Streets Have No Name – Thirty Seconds To Mars [2011]
A fusão perfeita das distorções e reverberações de guitarra que deixaram The Edge famoso, muito bem emuladas pelo guitarrista Tomo Miličević do Thirty Seconds To Mars, com um coral gospel. Cover apresentada no MTV Unplugged de 2011.


02 – I Still Haven't Found What I'm Looking For – The Chimes [1990]
O grupo escocês The Chimes, da cantora jamaicana naturalizada escocesa, Pauline Henry, lançou uma ótima cover I Still Haven't Found What I'm Looking For com uma pegada mais voltada para o R&B e a soul music.


03 – With Or Without You – Amy Lee [2016]
Do EP Recover Volume 1 saiu esta releitura bela e sombria feita pela sempre afinadíssima e competente vocalista e compositora do Evanescence, Amy Lee. Doses perfeitas de peso de guitarra, tons sombrios e emoção.


04 – Bullet The Blue Sky – Vieux Farka Touré [2008]
O compositor, guitarrista e cantor maliano Vieux Farka Touré gravou uma ótima cover de Bullet The Blue Sky para a compilação In The Name Of Love: Africa Celebrates U2 lançado em 2008. O estilo afrobeat combinado com a guitarra ritmada e a adaptação da letra para o idioma francês misturado ao dialeto tuaregue fez desta cover mais do que uma simples releitura; praticamente a tornou uma nova música.


05 – Running To Stand Still – Darius Rucker [2014]
Mais ou menos na mesma época em que o U2 lançava The Joshua Tree, Darius Rucker formava a banda de rock alternativo Hootie & The Blowfish com seus colegas da University of South Carolina. Mesmo com a diminuição das atividades da banda na década passada, Darius não parou com seu trabalho artístico dando prosseguimento por meio de uma carreira solo exitosa, que dão espaço para apresentações como esta, utilizando apenas violão e seu talento vocal para fazer uma ótima releitura de Running To Stand Still.


06 – Red Hill Mining Town – Dream Theater [1995]
A sempre competente banda metal progressivo norte-americano Dream Theater gravou em 1995 o EP A Change Of Seasons composto por uma faixa de mesmo nome contendo 23 minutos de duração e uma coletânea de covers gravados ao vivo no Ronnie Scott's Jazz Clube de Londres. Das sobras destas gravações, saiu esta excelente versão de Red Hill Mining Town que não foi lançada com o EP mas acabou parando no CD de Natal de 1996 distribuído ao fã clube internacional da banda. Destaque para o ótimo trabalho vocal de James LaBrie.


07 – In God's Country – Tribe Of Heaven [1989]
A Tribe Of Heaven foi um duo folk composto por Dave Matthews e o cantor e compositor Mark Roebuck em 1989. Desta colaboração nasceu o disco Imagine We Were que continha 8 músicas autorais e 1 cover. A cover escolhida pelo duo foi justamente In God’s Country que ficou totalmente folk acústica e que se encaixou muito bem no arranjo vocal estabelecido pela dupla.


08 – Trip Through Your Wires – Adam Sweeney & The Jamboree [2011]
A regravação feita pelo grupo folk Adam Sweeney & The Jamboree ganhou arranjos de bluegrass, misturado ao folk rock. Ótima cover.


09 – One Tree Hill – Jamestowne [2016]
O Jamestowne foi uma banda de Indianapolis que conseguiu certo sucesso no final dos anos 90 com suas músicas entrando na trilha sonora de episódios do seriado Felicity. Em 2016 a banda lançou um tributo completo para o disco Joshua Tree de onde saiu esta versão de One Tree Hill bem parecida com a original.


10 – Exit – Anthrax [2003]
Os metaleiros do Anthrax botaram todo o seu peso nesta releitura muito bem executada de Exit. Essa cover foi lançada pelo Anthrax em 2003 como lado B do single Taking the Music Back.


11 – Mothers Of The Disappeared – Patti Smith [2017]
Sempre com sua interpretação impecável, a grande Patti Smith fez uma releitura precisa de Mothers Of The Disappeared, dando a medida certa entre emoção de um protesto de dor, mas ao mesmo de amor e apoio a aquelas mães que tiveram seus filhos e filhas desparecidos pelos violentos governos ditatoriais da América Latina.  


Que o U2 e o Joshua Tree continue a inspirar tantos artistas e a emocionar pessoas por mais 30 anos!

Persiolino

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui!!!