Melhores Covers de 2018 - Top 50 Covers Internacionais - Parte 2

Nenhum comentário

Top 30 Covers Internacionais - posições 30 a 16
Por Persiolino

Num ano em que chegamos a marca de 50 covers selecionadas para a lista de melhores cover de músicas internacionais, só podemos afirmar que 2018 foi repleto de boas covers e ficamos muito felizes por isto. Um ano em que tivemos ótimos tributos e artistas que estavam meio desaparecidos ressurgindo com covers, como foi o caso de Michael Bublé e Vanessa Carlton. Um ano em que as mulheres dominaram a cena - 50% das covers selecionadas neste ano foram feitas por mulheres.

Sem mais delongas, fiquem com a primeira parte da minha seleção de 30 covers, com a trigésima posição até a décima sexta. Assim sendo, nos próximos dias publicaremos a terceira e última  parte do nosso top 50.

E não deixe de conferir as 20 covers selecionadas pela Menina Enciclopédia, bem como dar uma passadinha no nosso post de Top 6 Covers feito por Corais.

Um feliz 2019 a todos!

30 – Drive – Aimee Mann (original: The Cars)
Super sucesso dos anos 80, Drive ganhou uma roupagem totalmente acústica da querida cantora norte-americana Aimee Mann, feito exclusivamente para o quarto episódio que foi ao ar em fevereiro de 2018 da segunda temporada da série de TV “The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story”.

29 – Blonde On Blonde – Rogue Wave (original: Nada Surf)
O Rogue Wave participou do disco tributo Standing At The Gates: The Songs Of Nada Surf’s Let Go e deixou essa versão bem “pra cima” de Blonde On Blonde, que em minha opinião é a mais bonita balada do Nada Surf.

28 – You Get What You Give – Kitten (original: New Radicals)
O Kitten é uma banda formada no cenário indie rock da cidade de Los Angeles em 2009. Neste ano de 2018, a banda lançou um novo EP intitulado Pink Champagne e se apresentou no famoso festival SXSW onde recebeu boas críticas. A cover de You Get What You Give do New Radicals foi feita com bastante esmero, praticamente um espelho da versão original, exceto se percebemos o vocal feminino sempre energético da vocalista Chloe Chaidez.

27 – Call Your Girlfriend – Vanessa Carlton (original: Robyn)
Quando você pensa em Vanessa Carlton logo em vem a mente aquele popzinho doce de A Thousand Miles, do tipo “piano do Pica-Pau que sai pelas ruas tocando”. Mas isto tudo pertence a 2004. De lá para cá, Vanessa amadureceu como artista e já gravou vários outros trabalhos e tem recebido críticas bem positivas. Prova deste amadurecimento musical são suas escolhas para covers. Neste ano a senhorita Carlton já lançou 6 covers em streaming de músicas de artistas como Lucinda Williams, Elliot Smith e Neil Young. Mas o destaque vai mesmo para sua versão dançante e eletrônica Call Your Girlfriend da sueca Robyn.

26 – When You're Not Here (Cuando Tu No Estas) – Michael Bublé (original: Carlos Gardel / Alfredo Le Pera)
Algo pouco conhecido dos brasileiros é que Alfredo Le Pera, um dos maiores parceiros artísticos de Carlos Gardel, nasceu no bairro do Bixiga em São Paulo. Porém, logo aos 2 anos de idade, sua família se mudou para o Uruguai e em seguida para Argentina. De sua parceria nasceram clássicos eternos do tango como Por Una Cabeza e Mi Buenos Aires Querido. Mas não nos esqueçamos da belíssima Cuando Tu No Estas. Esta canção super-romântica ganhou uma reinterpretação em inglês do cantor canadense Michael Bublé, lançada na edição “deluxe” do seu último trabalho intitulado de Love – seu primeiro disco após um hiato de dois anos para cuidar do filho que havia sido diagnosticado com câncer no fígado.

25 – Such Great Heights – As It Is (original: The Postal Service)
O hit indie lançado em 2003 não saiu da cabeça da banda inglesa As It Is. Tanto que na coletânea Songs That Saved My Life – lançado no último novembro pela gravadora independente Hopeless Records com o intuito de angariar fundos para instituições que ajudam no bem-estar mental e na prevenção ao suicídio. O As It Is mandou muito bem nesta cover, deixando-a tão acelerada quanto a original. A mistura de guitarras e a retirada da bateria eletrônica a aproximou de algo como Linkin Park e o resultado final é interessante.

24 – Don’t Come Close – Sharon Van Etten e Yo La Tengo (original: The Ramones)
Don’t Come Close é faixa do discaço Road To Ruin dos Ramones. Da discografia dessa lendária banda, Road To Ruin talvez seja o trabalho que mais se aproxima de um power pop “a la Big Star” com pitadas de Beach Boys. Por isto ao ouvir essa ótima cover do Yo La Tengo com a também ótima Sharon Van Etten, é bem difícil de perceber que se trata de um rebento de Joey Ramone.

23 – Sweet Love – Rudimental feat. Bridgette Amofah (original: Anita Baker)
A ex-vocalista do grupo Oi Va Voi, Bridgette Amofah se juntou ao grupo Rudimental no tradicional programa comemorativo de réveillon do apresentador e músico Jools Holland para fazer um cover drum & bass para Sweet Love, ganhadora do Grammy de 1987 de melhor canção de R&B na maravilhosa interpretação de Anita Baker.

22 – True Love – Vince Gill e Wendy Moten (original: Glenn Frey)
Sucesso de 1988, True Love é um rebento do subestimado Glenn Frey. Glenn sempre será lembrado por seu hit The Heat Is On emplacado com o filme Um Tira da Pesada. Quase não nos lembramos das outras ótimas canções produzidas por ele. Mas Vince Gill, lenda da country music norte-americano, ganhador de 21 prêmios Grammy, nunca esqueceu do amigo Glenn Frey. Na coletânea tributo Muscle Shoals - Small Town, Big Sound, que reverencia a qualidade da produção musical vinda do estúdio Fame localizado na pequena cidade de Muscle Shoals, no estado do Alabama. Vince Gill e a cantora Wendy Moten fizeram uma belíssima homenagem nesta reintepretação de True Love.

21 – Love Shack – DZ Deathrays e The Gooch Palms (original: B52’s)
Uma das melhores músicas de 1989 continua fazendo a cabeça de muita gente por aí. É o caso dos australianos DZ Deathrays e The Gooch Palms que se reuniram para fazer uma versão mais acelerada e tão dançante quanto a original Love Shack, musicaço do disco Cosmic Thing do ótimo B52’s.

20 – What The World Needs Now – Jonathan Butler (original: Jackie DeShannon)
Essa balada cuja música foi composta por Burt Bacharach e letra por Hal David foi uma das canções mais versionadas em 2018. Cat Power, Barbra Streisand e Jim James fizeram suas versões para este sucesso de 1965. Porém uma das melhores e mais emocionantes e significativas versões desta canção, lançada original pela cantora Jackie DeShannon, foi gravada pelo músico sul-africano residente nos EUA Jonathan Butler. Segundo Buttler, em entrevista dada para a rádio Power 98.7 FM da África do Sul, “com certeza, o que o mundo precisa agora é amor”. E continua: “Estamos vivendo em um mundo maluco. Vivendo nos EUA agora, um país tão dividido onde racismo está na sua cara, é doloroso”.

19 – Stay – Cat Power (original: Rihanna)
A versão original de Rihanna já é emocionante. Seria possível fazer uma cover melhor que versão original? Para Cat Power, essa artista de voz impressionante, de covers inesquecíveis, nada é impossível. Nada sai mal feito. Não há muito o que dizer desta cover. É sentar, ouvir calmamente e apreciar!

18 – Issues – Lewis Capaldi (original: Julia Michaels)
Talvez você não conheça Julia Michaels, mas se você está ligado em música pop atual com certeza já ouviu alguma música dela por aí. A compositora de 24 anos é a autora de Sorry de Justin Bieber e Good For You de Selena Gomez. Em 2017, Julia lançou seu primeiro trabalho solo e fez muito sucesso com a música Issues. Assim como Julia, você também já deve ter ouvido alguma música de Lewis Capaldi. Parceiro de longa data de Frank Ocean, o cantor e compositor escocês fez muito sucesso com a música Bruises que apareceu na série Riverdale. Capaldi gravou uma bela versão de Issues apenas acompanhado ao som do piano para o canal alemão do YouTube Offshore.

17 – I Never Asked To Be Your Mountain – Beth Orton & The Chemical Brothers (original: Tim Buckley)
De 1967, I Never Asked To Be Your Mountain de Tim Buckley, pai de Jeff Buckley, é um clássico da música folk psicodélica. Então, nada melhor do que reunir os Chemical Brothers e a cantora Beth Orton para repagina-la. Mas isto foi há duas décadas, em 1998, durante as gravações do disco Central Reservation. Explico: a gravação da cover estava perdida nas coisas de Beth Orton. E, de fato, ela nunca havia sido lançada ou ouvida pelo grande público. Precisou Beth revisitar o seu passado para resgatar essa jóia e coloca-la para ser apreciada em 2018.

16 – Everything Is Free – Courtney Barnett (original: Gillian Welch)
A balada folk de 2001 da cantora e compositora Gillian Welch nunca foi tão regravada como agora. Entre os artistas que a regravaram em 2018 podemos citar Father John Misty, Phoebe Bridgers e a querida Courtney Barnett. A canção que fala essencialmente do medo do artista ser privado de chegar até ao seu público por conta da internet e dos serviços de streaming ainda soa atual. Além disto, a melodia de Everything Is Free a torna realmente um clássico do folk. Courtney fez um ótimo trabalho gravando esta cover.
Não deixe de conferir os outros posts com os Melhores Covers de 2019:
PARTE 1
PARTE 3
Melhores Corais de 2019

Nenhum comentário :

Postar um comentário