Cover Playlist - 3 sambas famosos cantados em japonês

Nenhum comentário
O intercâmbio cultural entre o Brasil e o Japão não é novidade. Pelo menos desde 1908, quando os primeiros imigrantes do país do sol nascente começaram a chegar em terras brasileiras, ambas as nações têm aprendido, absorvido e adaptado suas tradições, seus costumes e suas manifestações culturais mutuamente. E, quando focamos no quesito música, obviamente, não poderia ser diferente. 

Por isto, aproveitando esta época de Carnaval, verificamos por meio da internet que existiram vários artistas nipônicos que gravaram clássicos do nosso samba adaptados para a língua de sua terra natal. Muitos podem supor que a motivação tenha sido simplesmente a bossa nova, o estilo musical brasileiro mais difundido no exterior. Outros irão pensar que se trata de mais uma adaptação de Mais Que Nada do Jorge Ben Jor. Na verdade, longe destas obviedades, se tratam três verdadeiros exemplares do samba “da gema” cantados em japonês - fato que por si só já é muito curioso pois não imaginávamos que esses sambas consagrados no Brasil haviam tido alguma repercussão no Japão. 

É bem verdade que sabemos que os japoneses amam a música brasileira em geral, tanto que muitas pérolas da discografia brasileira possuem edições especiais feitas especificamente para o mercado japonês. Mas de fato essas três adaptações reforçam a nossa percepção de o quanto a nossa música é valorizada pelos japoneses e o quanto eles admiram esse nosso samba.

01 - 愛のサンバは永遠に - Aiko Itoh [1982]
Original: Não Deixe o Samba Morrer - Alcione
E se não o fazemos, tratar de valorizar a nossa cultura, existe sim o real risco dela morrer. É este o significado que existe no refrão de Não Deixe o Samba Morrer, canção interpretada originalmente por Alcione em 1975, composição de Edson Conceição e Aloísio Silva. Este grande sucesso da Marrom foi adaptado para idioma nipônico em 1982 pelo compositor Akira Otsu e interpretado pela cantora Aiko Itoh no disco 男と女のサンバ (em português, Samba Homem e Mulher). Neste mesmo disco também há uma adaptação da canção Na Cadência do Samba de Ataulfo Alves. A versão japonesa do clássico da Alcione ganhou o título 愛のサンバは永遠に, que seria algo como "Amar o Samba Para Sempre" numa tradução literal. Confira então esta ótima versão:


02 - 愛の終りのサンバ - Emma Sugimoto [1974]
Original: Retalhos de Cetim - Benito Di Paula
Benito Di Paula fez muito sucesso aqui e no exterior com a música Charlie Brown como comentamos meses atrás neste post. Porém tão curioso quanto saber da existência de uma adaptação de Charlie Brown em estoniano foi descobrir esssa versão para o japonês de Retalhos de Cetim interpretado pela cantora, atriz e modelo Emma Sugimoto. Com o título 愛の終りのサンバ (em português, "Samba No Fim do Amor"), essa adaptação para a composição de Benito foi lançada no disco Emma Is Love de 1974 que também conta com versões para as músicas A Noite de Meu Bem de Dolores Duran e O Que Passou, Passou famosa na interpretação de Nelson Gonçalves.


03 - Manhã de Carnaval - Kiyoshi Hasegawa [1976]
Artistas Originais: Luiz Bonfá / Antonio Maria
Manhã de Carnaval talvez seja o maior sucesso do músico e compositor brasileiro Luiz Bonfá em parceria com Antônio Maria. Esta música esteve presente no filme Orfeu Negro e foi versionada por artista como Perry Como, George Benson e Frank Sinatra. No Japão, essa canção foi interpretada pelo guitarrista, compositor e cantor Kiyoshi Hasegawa em 1976 no disco ao vivo entitulado Sunday Samba Session Live At Loft. Hasegawa, portador de glaucoma desde os 2 anos de idade, é considerado um dos melhores guistarristas japoneses de todos os tempos e sua versão de Manhã de Carnaval é simplesmente brilhante.


Bom Carnaval a todos!

Nenhum comentário :

Postar um comentário