Cover Records - A origem e as versões da canção Neurastênico

Nenhum comentário
“Burummm bump mais que nervoso estou, Burummm bump sou neurastênico (…)”

Essa letra onomatopeica pertence a canção Neurastênico, sucesso absoluto no Brasil durante os anos 1950 e 1960. Se você tem seus 30, 40 ou 50 anos com certeza já a ouviu em outras músicas ou em jingle de comercial antigo de TV sem saber exatamente sobre sua verdadeira origem.

No meu caso, ouvi-la pela primeira vez nos idos de 1996 por intermédio do hit Ônibusfobia do Jota Quest. A banda mineira não fez exatamente uma cover de Neurastênico, mas sim se utilizou de um trecho daquela composição para fazer a letra de Ônibusfobia.


Mal sabia nessa época que esse trecho era de outra música. Só vim a perceber que Neurastênico era uma música com “vida própria” quando a ouvi pela primeira vez há uns 6 meses através da gravação feita pelo grupo vocal Os Cariocas. Inusitadamente a conheci por meio de um grupo numa rede social, numa postagem que mostrava um comercial antigo de TV do início dos anos 2000 do enxaguatório bucal Anapyon com título “É bom é Anapyon”. Confira:


De fato, o jingle era uma clara adaptação de Neurastênico. Isto só atiçou ainda mais minha curiosidade em tentar descobrir sua origem e a história desta canção.


Pulando de site em site, me deparei com vários fatos curiosos. O primeiro deles fazem referências ao cantor Ronnie Cord, que fez uma gravação de Neurastênico no embalo do movimento Jovem Guarda em 1963 e alcançou um grande êxito na época. Até hoje muitas pessoas acham que a canção Neurastênico é uma gravação original de Ronnie Cord. 

Contudo, quando pesquisando sobre o artista no site Dicionário Cravo Albin da MPB me deparei com seguinte trecho: “Ronnie Cord iniciou sua carreira em 1960, tendo a ajuda na produção e na escolha do repertório, de seu pai, Hervê Cordovil, e sendo acompanhado por Betinho e Seu Conjunto”. Justamente neste ponto que comecei a correlacionar tudo. Ronnie Cord tinha como banda de apoio a tal Betinho e Seu Conjunto. E, não por coincidência, encontrei os créditos de Neurastênico dados aos compositores Betinho e Nazareno de Brito.

De fato, Betinho (ou Alberto Borges de Barros) era um dos autores da canção e foi o primeiro a gravar seu próprio rebento em 1954 – logo não era de se surpreender que Ronnie Cord tenha a regravado 9 anos mais tarde do lançamento original.


Outro fato curioso reside no estilo foxtrote de Neurastênico. Este ponto gerou uma certa celeuma quanto a relação desta música com a discussão sobre o tem "Primeiro Rock’n’Roll 100% Brasileiro". 

Como se sabe, o estilo foxtrote foi inicialmente escolhido (erroneamente) por algumas gravadoras norte-americanas para classificar as primeiras composições rock’n’roll. A própria gravação de Rock Around The Clock de Bill Haley and His Comets fora classificada inicialmente pela gravadora Deca como foxtrote. Além disto, Bentinho foi um dos músicos pioneiros a tocar guitarra elétrica em suas apresentações e aderir a estética rockabilly dos anos 50 e 60 aqui no país. Soma-se a isto o fato de que a música Enrolando o Rock de 1957, esta sim considerada por muitos especialistas como sendo o primeiro do rock brasileiro de fato, ser um rebento do próprio Betinho. Daí toda a confusão onde alguns sites informam erroneamente que Neurastênico foi o primeiro rock brasileiro. 

Pois bem, como não se bastasse todas esses fatos, descobrimos que Neurastênico não foi um sucesso apenas em terras brasileiras. Hoje, graças a uma base de dados enorme oferecida pela internet, descobrimos nas pesquisas que artistas de outros países também fizeram suas próprias adaptações para esta canção.

Uma das gravações mais raras é foi feita pelo duo cantante de músicas cômicas Los Casanovas. Criado em Cuba durante a década de 50 – muito provavelmente anos antes da Revolução Cubana de 1959 – a dupla formada por Alfonso Casanova e Armando Argüelles fizeram sucesso por toda América Central. O LP coletânea de maiores sucessos da dupla, intitulado Que Chabocha La Chevecha, lançado pelo selo Kubaney (não se sabe ao certo o ano deste lançamento) continha em seu lado B justamente uma adaptação para o espanhol da música Neurastênico:


Outra adaptação que ganhou destaque foi feita pela cantora argentina radicada na Espanha Elder Barber. Num EP contendo com 4 canções, lançado em 1958, em um de seus lados continha a música El Neurasténico, uma adaptação feita para idioma o espanhol, que acabou ganhando flexão do adjetivo para o feminino. Ao ouvi-la, podemos perceber que a letra adaptada é bem menos fiel a letra original em português:


Por fim, temos a interpretação da belíssima cantora e atriz norte-americana Barbara Ruick acompanhada da grande orquestra de Ray Conniff. A adaptação para o inglês ganhou o título Br-Rrr-Rr-M! (Neurastenico) e foi escrita em 1955 por Carolyn Leigh, reconhecidamente uma das maiores compositoras de musicais da Broadway de todos os tempos. Apenas para nos situarmos, além de seu trabalho em musicais, Leigh em parceria com Cy Coleman lançou um dos maiores sucessos de Frank Sinatra, The Best Is Yet To Come. Só por isto, dado o peso desse trio, Carolyn Leigh, Barbara Ruick e Ray Conniff, devemos apreciar com atenção este verdadeiro achado...


Com tantas histórias e tantos fatos curiosos e importante, é estranho que aqui no Brasil não termos uma reverência mínima aos autores da canção Neurastênico, não só para darmos os créditos corretamente a Betinho e Nazareno de Brito, mas como também admirar toda a criatividade e ousadia desta composição para a época. Mais uma vez temos que reconhecer que a música brasileira já foi um produto de exportação muito apreciado pelo mundo inteiro. É uma pena que hoje nossa música já não possua essa mesma qualidade e, pior, sua história está pouco a pouco se perdendo. 

Fontes:

Autor Desconhecido. Dados artísticos de Nazareno de Brito - Dicionário Cravo Albin Música Popular Brasileira - Disponível em: https://dicionariompb.com.br/nazareno-de-brito/dados-artisticos - acessado em 27 de Setembro de 2020 

Autor Desconhecido. Dados artísticos de Betinho - Dicionário Cravo Albin Música Popular Brasileira - Disponível em: https://dicionariompb.com.br/betinho/dados-artisticos - acessado em 27 de Setembro de 2020.

Autor Desconhecido. Dados artísticos de Ronnie Cord - Dicionário Cravo Albin Música Popular Brasileira - Disponível em: https://dicionariompb.com.br/ronnie-cord/dados-artisticos - acessado em 27 de Setembro de 2020.

Autor Desconhecido. Discografia de Ray Connif - ’S WONDERFUL! The Ray Conniff Page - Disponível em: http://mthoenicke.magix.net/public/RayConniff/CollectorsGuide/ - acessado em 28 de Setembro de 2020.

Busca por "Neurastenico" - Discogs - Disponível em: https://www.discogs.com/search/?q=neurastenico&type=all - acessado em 28 de Setembro de 2020

BARBO, Sergio. Rock: Não como nossos pais - Super Interessante - Disponível em: https://super.abril.com.br/cultura/rock-nao-como-nossos-pais/ - acessado em 27 de Setembro de 2020.

DOS SANTOS, Joaquim Ferreira. Neurastênico - Radio Batuta - Disponível em: https://radiobatuta.com.br/programa/neurastenico/ - acessado em 28 de Setembro de 2020.

SANTANA, João Carlos. Cronologia do Rock Nacional - Coluna Rádio CBN - Disponível em: http://colunas.cbn.globoradio.globo.com/platb/joaocarlossantana/2009/07/28/cronologia-do-rock-nacional-betinho/ - acessado em 28 de Setembro de 2020.

Nenhum comentário :

Postar um comentário